Dr. Pedro Miranda

Dr. Pedro Miranda

Como perder o medo do primeiro plantão

Quem me vê trabalhando hoje acha que eu nunca passei pelo medo do primeiro plantão.

          Intubação orotraqueal, acesso venoso central, passagem de marca-passo trans venoso e até parada cardiorrespiratória são condições que nem fazem meu coração acelerar, já estou acostumado e trato isso com naturalidade ou como uma coisa do meu dia a dia. Mas nem sempre foi assim.

          Muitos dos meus alunos me perguntam: “Pedro, você tinha medo de dar o primeiro plantão?” E a minha resposta sempre é: “Era um dos maiores medos da minha vida”. Mas no fundo eu sabia que não tinha como escapar. Quando você se forma, uma das maneiras de ganhar dinheiro é através de plantão e isso, eu te garanto, invariavelmente vai acontecer com você. Relembrando o passado, eu vi que fiz muitas escolhas erradas, tive muitas experiências traumáticas que hoje poderiam ser perfeitamente evitadas se eu tivesse alguém para me orientar.

          O meu objetivo com você é esse: passar algumas dicas fundamentais para o seu primeiro plantão. E, acredite, você vai se sentir muito mais confiante e preparado para enfrentar essa situação. Atravesso o Brasil de ponta a ponta dando palestras em eventos com o tema: “Como perder o medo do primeiro plantão”. E em todo lugar que passo sempre recebo alguma mensagem de agradecimento dizendo que as dicas foram fundamentais para enfrentar o primeiro plantão. Por isso, eu decidi compartilhar toda essa experiência com vocês. Vamos lá?

imagem ilustrativa

1- Nunca vá sozinho.

O primeiro plantão deve ser feito sempre acompanhado de um colega. Podendo ser ele experiente ou não.

Vamos aos exemplos:

– Se você pegou um plantão em um hospital, UPA ou uma unidade de saúde com pronto atendimento em que você será o único médico, chame um colega seu, pode ser da sua sala mesmo, sem experiência.

“Mas, Pedro, eu vou dividir o meu salário do plantão com ele?” Siiim! Lembre-se que o objetivo aqui é dar segurança a vocês dois.

– Agora se você pegou um plantão em uma unidade que tem dois ou mais médicos atendendo, melhor ainda. O que te aconselho é mandar uma mensagem prévia para o médico que vai estar de plantão com você e explicar que é sua primeira experiência como plantonista e se você poderia contar com a ajuda dele caso precisar. Com isso, você quebra o gelo com seu “futuro colega” de plantão e garante que ele vai te ajudar.

Lembre-se, não custa nada ser gentil! Às vezes, levar um lanche ou chocolate e entregar para esse médico, no início do plantão, vai fazer com que ele te olhe com outros olhos.

2- Bom relacionamento com a equipe de enfermagem

A equipe de enfermagem é fundamental para o seu sucesso e não tenha vergonha de pedir a ajuda de seus colegas de plantão. Normalmente os técnicos de enfermagem ou enfermeiros são experientes, trabalham no hospital há anos e conhecem como ninguém a rotina e as medicações. Por isso, um bom relacionamento com eles é fundamental. Você pode por exemplo, chegar ao enfermeiro e se apresentar:

Olá, meu nome é Pedro Miranda e serei o médico do plantão hoje. Como é meu primeiro plantão, vou precisar de ajuda com algumas rotinas da unidade e algumas outras questões. Posso contar com você se tiver alguma dúvida?”

BINGO! Você acaba de fazer uma nova amizade e um fiel escudeiro que irá te ajudar nessas próximas horas do plantão.

Você pode ainda usar a estratégia das dicas:

“Se você tiver alguma dica ou orientação pra me dar, pode ficar à vontade, estou aqui pra aprender a rotina do serviço”.

3- LISTA DE EMERGÊNCIA

Durante o internato é comum rodar com diversos especialistas e fazer amizades principalmente com residentes e outros internos. Por isso não deixe de ter uma LISTA DE EMERGÊNCIA que nada mais é que um arsenal de contatos de médicos ou residentes experientes para que você possa pedir ajuda ou discutir sobre um paciente, caso seja necessário.

4- Material de apoio

Hoje, com a revolução tecnológica, existem inúmeros aplicativos de celular que irão lhe ajudar a relembrar doses de medicações e até estreitar diagnósticos. É muito importante ter um aplicativo desses instalado em seu celular.

Mas, e se seu celular estragar ou descarregar? Por isso pense sempre no plano B. Eu aconselho fortemente que leve um livro de urgência e emergência com você. Isso é fundamental nos primeiros plantões.

5- Prepare-se!

Não adianta nada você ir para um plantão sem saber nem como diagnosticar ou prescrever os pacientes. Você vai ter uma experiência extremamente traumática.

Já imaginou uma pessoa indo atravessar um lago a nado… Só que ela se esqueceu de um pequeno detalhe: Ela não sabe nadar direito. Qual o resultado disso? Vai morrer afogada No plantão é a mesma coisa. Como você vai para um plantão sem se capacitar? O resultado vai ser decepcionante.

A dica que eu dou é fundamental: Prepare-se!

Vamos fazer uma  autoanálise: Você se acha 100% preparado para dar um plantão? Acredito que a maioria das respostas será não. Por isso existem alguns cursos que podem te ajudar muito. O primeiro curso que eu recomendo é um curso prático que se chama ACLS. É um curso da American Heart Association, com a maioria da carga horária prática que vai te ajudar muito a reconhecer e tratar as taqui e bradi arritmias além de te ensinar a como conduzir uma parada cardiorrespiratória, a famosa PCR, que é o maior medo de quem vai pro primeiro plantão.

Outra de forma de preparação que acho fundamental é um preparatório para plantão. Normalmente são cursos 100% online e com didática impecável voltado para quem vai dar plantão, e lá você vai aprender a prescrever, diagnosticar, orientar os pacientes e a realizar procedimentos. Existem diversos cursos que te preparam para essas situações específicas, tais como: dar plantão em UTI, trabalhar em PSF, trabalhar em ambulância, no transporte aeromédico. Até mesmo cursos para te capacitar melhor durante o internato. Tudo é possível! Acredite! 99% do segredo do sucesso é estar preparado e confiante.

Bom, pessoal. Tenho certeza que se seguir essas dicas, você vai estar muito mais preparado para o seu primeiro plantão. E lembre-se, para acabar com o medo e com a taquicardia dos plantões é somente com o tempo e a experiência do  dia a dia.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

COMPARTILHE ESTE CONTEÚDO!

VEJA TAMBÉM ESTES ARTIGOS
TALVEZ VOCÊ GOSTE DESTES:

O grande pulo do gato no aprendizado médico

Se você assistiu à série La Casa de Papel vai se lembrar da figura do professor. Um verdadeiro gênio em...

Saiba mais

Como escolher um curso preparatório para a residência médica?

1. Veja o conteúdo programático As plataformas que não mostram as aulas e o conteúdo programático não irão te ajudar...

Saiba mais

Como perder o medo do primeiro plantão

Quem me vê trabalhando hoje acha que eu nunca passei pelo medo do primeiro plantão.          ...

Saiba mais

© Todos os Direitos Reservados 2020

INSTITUTO PEDRO MIRANDA DE EDUCACAO LTDA